SEMINÁRIO “AUSTISMOS: UMA DIREÇÃO DE TRATAMENTO”

Zedeon

Artista: Zedeon

Este Seminário tem como objetivo elucidar as questões sobre o autismo na contemporaneidade através da contribuição da psicanálise, com o olhar crítico voltado para a dimensão em que o tema tem alcançado na atualidade. Assim, a proposta do seminário é fazer uma retomada histórica localizando o conceito ao longo da história da psicopatologia infantil e o fazer da clínica psicanalítica.

A clínica psicanalítica com os autistas leva em consideração as soluções singulares escolhidas pelo sujeito para existir, enfatizando seu trabalho sutil de construção.A psicanálise sempre esteve presente no trabalho para com os autistas. Nosso tempo, sustentado pela pressa, tende a aplicar ao tratamento com os autistas os métodos de educação e aprendizagem como meio para sua adaptação ou, adaptá-lo ao meio seria a única saída possível não considerando a subjetividade.

Como linha de raciocínio pretende-se seguir textos do livro: “A batalha do autismo”, Éric Laurent, associando a outros autores, apresentando casos clínicos no decorrer das aulas.  Faremos nesse semestre 07 encontros, aos sábados de 08:00 às 10:00hs na sede do Cepp Rua Euclides da Cunha 62, Cidade Nobre.

CRONOGRAMA:

10/09/2016:  Exibição do documentário: “Outras Vozes”: Ivan Ruiz

  • Debate

24/09/2016: A construção do conceito autismo ao longo da história. Contribuição de Bleuler, Kanner e Asperger. Teses biológicas x teses dinâmicas.

  • A dinâmica perspectiva entre as décadas de 70 e 80 e contribuição da psicanálise.

08/10/2016: Apresentação de casos clínicos: “O caso Dick: Melanie Klein e “O menino lobo”: Robert e Rosine Lefort.

22/10/2016: Autismo na atualidade: Um modo peculiar de fazer a entrada no mundo, a recusa como uma defesa ao excesso do campo da linguagem.

  • A causa do autismo
  • Autismo e real: Balizas para a prática
  • Uma presença insistente: Os espectros do autismo.
  • Os sujeitos autistas, seus objetos e seu corpo.
  • Exemplo clinico: “A imagem e o imaginário: Quando o sujeito é excluído do imaginário materno e permanece sem a ajuda de nenhuma imagem estabelecida”. Susana Faleiro Barroso. Revista eletrônica do IPSM-MG. Almanaque n. 15

15/11/2016 – O trauma da língua

  • Reiteração do Um
  • Fazer calar a balbúrdia da língua
  • Falar, um acontecimento de corpo

19/11/2016: A letra e a prática entre vários

  • Atalhos para aprendizagem singulares
  • Espaços de jogo para a borda e a letra
  • Os registros da letra
  • Os nós do trauma.

3/12/2016: Conclusão: Os lugares do saber.

  • Breve apresentação escrita dos participantes da experiência do seminário e, da prática de cada um.

Coordenação: Marília Moreira e Fabiane Souza: Membros do CEPP.

Público alvo: Estudantes, profissionais da área saúde mental infantil e afins.

Investimento: Profissionais: a vista 350,00 ou 03 cheques de 120,00.  Estudantes: a vista 250,00 ou 03 cheques de 90,00.

Referências Bibliográficas:

  • Barroso, Susana Faleiro. A imagem e o imaginário: Quando o sujeito é excluído do imaginário materno e permanece sem a ajuda de nenhuma imagem estabelecida. Revista eletrônica do IPSM-MG. Almanaque nº 15
  • Laurent, Éric: A Batalha do Autismo: Da Clinica à Política. RJ: Zahar, 2014
  • Machado, Ondina e Drumond, Cristina(ORGS). O Autismo Hoje e o seus mal-entendidos.
  • Murta, Alberto / Calmon, Analícea/ Rosa, Marcia. (ORGS) Autismo(s) e atualidade: Uma leitura Lacaniana.

Dois livros:

  • Jerusalinsky, Julieta. Enquanto o futuro não vem: a psicanálise na clínica interdisciplinar com bebês. Salvador: Álgama, 2002.
  • Jerusalinsky, Alfredo (org.) Dossiê autismo. São Paulo: Instituto Langage, 2015.

Textos para a discussão com a neurociências (teses biológicas):

  • Gonon, François. A psiquiatria biológica: uma bolha especulativa? In: Dossiê autismo. São Paulo: Instituto Langage, 2015. p.198-229.
  • Giacobino, François. Considerações sobre a singularidade de cada autista. In: Dossiê autismo. São Paulo: Instituto Langage, 2015. p.172-177.
  • Jerusalinsky, Diana. Etiologia das alterações do desenvolvimento: algumas hipóteses a partir das neurociências. In: Dossiê autismo. São Paulo: Instituto Langage, 2015. p.178-197.

Sobre a Intervenção Precoce

  • Jerusalinsky, Alfredo. Indicadores de risco: como a psicanálise pode proteger os bebês. In: Dossiê autismo. São Paulo: Instituto Langage, 2015. p.418-435
  • Jerusalinsky, Julieta. Situandonanclínica com bebês. In: Enquanto o futuro não vem: a psicanálise na clínica interdisciplinar com os bebês. Salvador: Álgama, 2002. p. 21-45.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: